O co-fundador do WatsApp diz a todos para deletarem o Facebook

Facebook comprou seu aplicativo por US $ 10 bilhões

Remilson Semedo

O Facebook comprou o WhatsApp por US $ 16 bilhões, em 2014, tornando assim seus co-fundadores - Jan Koum e Brian Acton - homens muito ricos. Koum continua a liderar a empresa, mas Brian desistiu no início deste ano para começar sua própria fundação. E ele não está descontente apenas com o WhatsApp – em seu post no Twitter no dia 20 de Março, Acton disse a seus seguidores para excluírem o Facebook.

 

"Chegou a hora", escreveu Acton, acrescentando a hashtag #deletefacebook. Porém Brian não respondeu imediatamente a um pedido de comentário. O WhatsApp se recusou a comentar.

 

Não ficou claro se os sentimentos de Brian sobre o Facebook se estendem também ao seu ex aplicativo, o WhatsApp. De salientar que no mês passado, Brian investiu US $ 50 milhões na Signal, uma alternativa independente ao WhatsApp.

 

O tweet veio depois de um período conturbado de cinco dias no Facebook que levou os reguladores a enxames e o preço das ações despencou após preocupações com a privacidade dos dados, após revelações sobre o mau uso de dados de utilizadores pela Cambridge Analytica.

 

Brian não é o primeiro ex-executivo do Facebook a expressar desconforto com a empresa depois de deixá-la. No ano passado, o ex-chefe de crescimento Chamath Palihapitiya causou uma tempestade depois de dizer que "criamos ferramentas que estão destruindo o tecido social de como a sociedade funciona". Outros ex-executivos que expressam arrependimentos incluem Sean Parker, Justin Rosenstein e o investidor Roger McNamee..

Fonte: The Verge /  Casey Newton